Adriano Tanaka
OCP Oracle Cloud, OCP 11g, 12c
Adriano Tanaka

ExaCS - Como fazer o deploy

ExaCS - Como fazer o deploy

Nessa série de posts, vou tentar trazer a vocês alguns detalhes de como funciona, como fazer deploy e como fazer algumas atividades do dia-a-dia no ExaCS, espero que gostem!

Para iniciarmos, primeiro precisamos entender melhor do que se trata o Exadata Cloud Service (ou ExaCS), esse é um serviço que te entrega um(ou vários) Exadatas dentro da infraestrutura da Oracle que você paga por hora de utilização e que além dessa característica permite a expansão online de dbnodes e Storage(X8M-2), um outro ponto importante é que depois de provisionado, você pode aumentar/diminuir OCPUs de forma online, sem causar indisponibilidade.

Tipos de Exadatas disponíveis

Atualmente ao se provisionar um ExaCS você tem a disposição o que chamamos de modelos fixos (X6,X7 e X8) e Scalable (X8M-2), aqui vou falar sobre o X8 e o X8M-2.

No caso de um X8, essa são as opções de tamanhos, vale lembrar que são tamanhos fixos e que depois de criados não suportam a expansão(dbnodes,Storage) online:

https://docs.oracle.com/en-us/iaas/Content/Database/References/exahardwareshapeconfig.htm

Para um X8M-2, note que a forma de apresentar o tamanho é diferente, existe uma configuração mínima que se assemelha a um X8 Quarter mas que após o provisionamento pode chegar até a 1600 OCPUS (32 dbnodes) e um banco de 25 PB(64 Storages).

Fazendo o deploy

Limits

O primeiro ponto para fazer um deploy (independente do modelo) é solicitar os limits em sua conta, por padrão esse serviço vem zerado, para um X8 basta solicitar o tamanho do shape desejado:

Para um X8M é importante selecionar pelo menos 2 dbnodes e 3 Storage:

Network

Depois de ter os limits aprovados, o próxima etapa é a configuração de rede onde o ExaCS vai ser provisionado, apesar de ser um ponto simples e bem documentado aqui compartilho algumas dicas importantes:

  • Você precisa de duas subnets, uma que os seus usuários(e você) vão chegar nos dbnodes e outra que vai ser usada para trafegar o backup, aqui chamamos de priv e bkp, o tamanho das redes vão variar de acordo com o tamanho do Exa e de dbnodes/storage a serem provisionados
  • Planeje bem a nomenclatura/dns da sua rede pois ela vai fazer parte do hostname e dns das VMs do Exa, aqui no meu caso tenho exapriv.vcndatabase.oraclevcn.com e exabkp.vcndatabase.oraclevcn.com
  • De maneira resumida, as máquinas precisam ter SSH e ping liberadas entre elas e de fora para dentro
  • Porta 6200 precisa estar liberada
  • Na rede de backup precisa ter rota e estar liberado comunicação para o Object Storage

Segue o que criei, lembrando que aqui é um ambiente de teste e que em seu ambiente as configurações podem(e para algumas devem!) ser diferentes.

Subnets

Security List rede client e rede backup:

Tabela de rotas de backup:

A minha tabela de rotas da rede client só possuí rotas para minha rede onp via DRG.

Infrastructure

Com a rede criada, podemos partir para o provisionamento da máquina que começa pelo provisionamento da Infrastructure e aqui já temos algumas diferenças entre o X8 e o X8M, no caso do X8, ao criarmos a infrastructure ele já vai criar também nossas VMs, no X8M a infrastructure serve para amarrar os recursos(dbnodes e storage) com as VMs(vamos ver um pouco mais disso quando falarmos de escalar) .

X8

Se o seu deploy for de um X8, aqui você especifica o tamanho da máquina:

X8M

Se o seu deploy for de um X8M, você obrigatoriamente deve começar com o mínimo e depois realizar a expansão:

Nessa tela, você vai ser apresentado a uma configuração muito importante que é compartilhada por qualquer deploy que são as informações de manutenções e contatos que vão receber os aviso, caso você deixe no automático, uma vez por quarter a Oracle vai te avisar(e executar) sobre a manutenção que vai ocorrer, por isso é importante ajustar de acordo com sua necessidade:

Essa configuração é bem flexível, você pode selecionar em qual mês (desde que sobre pelo menos 1 por quarter), qual a semana do mês, dia da semana e por ai vai, que você deseja que os patchs sejam aplicados, além disso é possível configurar quanto tempo antes você precisa ser notificado, não se esqueça de preencher o campo “Maintenance Contact”!

Como disse no começo, se o seu deploy for um X8, ao clicar em Create Infrastructure, as VMs já vão ser provisionadas (esse processo leva algumas horas para terminar), se for em um X8M, precisamos provisionar o que chamamos de VM Cluster.

X8M VM Cluster

Para a criação de uma VM Cluster, você precisa apontar em qual Infrastructure ela vai ser criada, a primeira opção que você pode especificar é a quantidade de OCPU por nó(ele já mostra do lado direito o total que vai ser consumido):

Na parte de armazenamento você pode especificar se esse Exa vai ser configurado para poder fazer Sparse Snapshots ou se vai ter espaço para backup local, mas bastante atenção aqui pois essa configuração só pode ser feita no momento da criação da VM Cluster e ela pode acabar consumindo bastante espaço:

Modelo padrão
Com Sparse Snapshot habilitado
Backup local habilitado
Sparse Snapshot + Backup Local

Quanto a versão do Grid, atualmente no Deploy somente a opção 19.0.0.0 está disponível, na prática, ao selecionar 19c, ele sempre faz o deploy no ultimo patch disponível nessa versão, nesse caso no momento em que estou escrevendo esse artigo, a versão 19.11.0.0 .

Na parte de chaves SSH, não muda nada do provisionamento de uma VM:

Na parte de Network, você deve selecionar as redes client e backup criadas previamente, além disso você pode selecionar a opção de aplicar um NSG:

Ainda na parte de network, você pode colocar o prefix do hostname das VMs, aqui vale uma observação importante: O nome/dns da subnet vai ser concatenado ao nome que você especificou no prefix, então é importante ajustar isso na criação das redes:

Um outro ponto importante aqui é que a Oracle insere um sufixo de 5 caracteres aleatórios + número do nó ao nome que você criou, ficando por exemplo assim:

tanaka-abcde1.exapriv.vcndatabase.oraclevcn.com (Meu prefixo é tanaka e a oracle inseriu abcde1 para o nó 1)
tanaka-abcde2.exapriv.vcndatabase.oraclevcn.com (Meu prefixo é tanaka e a oracle inseriu abcde2 para o nó 2)

Não é possível alterar ou controlar o sufixo que a Oracle cria!

Por ultimo nessa tela, temos a opção do tipo de licença a ser utilizada e em Show Advanced Options, temos a configuração do timezone:

Após clicar em Create Exadata VM Cluster, o processo deve levar algumas horas para ser finalizado e o status do cluster vai passar a ser Available:

É isso pessoal, como dicas gerais para o deploy do ExaCS, recomendo criar os recursos de rede e ter certeza de que foram criados da forma que deseja pois para a alteração de nomenclatura se faz necessário a recriação das VM Cluster.

Opinions expressed are solely my own and do not express the views or opinions of my employer.

Adriano Tanaka

ExaCS - Como fazer o deploy
Nessa série de posts, vou tentar trazer a vocês alguns detalhes de como funciona, como fazer deploy e como fazer algumas atividades do dia-a-dia no ExaCS, espero que gostem! …
Scan QR code to continue reading
2021-09-19